Nova Página
INICIAL
Produtos
Contato
MONTAGENS
ARTIGOS GERAIS
Inicial
Contato
AQUARISLAND
A loja de aquariofilia
BIÓLOGO RESPONSÁVEL
DICAS DO AQUARISMO
MANUAL ALCON-AQUARIOS
TIPOS DE FILTROS
PRODUTOS DA FILTRAGEM
REPRODUÇÃO DE BETAS
PH-como funciona
PH-COMO CONTROLAR
QUIMICA DO AQUARIO
TRONCOS-como usar
MANUAL DO KILLIFISH
SUMP-FILTROS
ZOOTECNISTA RESPONSAVEL
PH-como funciona
O termo pH foi introduzido, em 1909, pelo bioquímico dinamarquês Søren Peter Lauritz Sørensen (1868-1939) com o objetivo de facilitar seus trabalhos no controle de qualidade de cervejas onde trabalhava na época. O "p" vem do alemão potenz, que significa poder de concentração, e o "H" é para o íon de hidrogênio (H+). Às vezes é referido do latim pondus hydrogenii.
O pH é uma característica de todas as substâncias, determinado pela concentração de íons de Hidrogênio (H+). Os valores variam de 0 a 14, sendo que valores de 0 a 7 são considerados ácidos, valores em torno de 7 são neutros e valores acima de 7 são denominados básicos ou alcalinos. Quanto menor o pH de uma substância, maior a concentração de íons H+ e menor a concentração de íons OH-. O pH de uma substância pode variar de acordo com sua composição, concentração de sais, metais, ácidos, bases e substâncias orgânicas e da temperatura.
O pH refere-se a uma medida que indica se uma solução líquida é ácida (pH < 7, a 25°C), neutra (pH = 7, a 25°C), ou básico-alcalina (pH > 7, a 25º C). Uma solução neutra só tem o valor de pH = 7 a 25°C, o que implica variações do valor medido conforme a temperatura.
Por esta definição, o pH neutro define-se como sendo numericamente igual a 7 (sem unidade). Quando [H+]<[OH-], a solução terá um pH superior a 7 e diz-se que é básica ou alcalina. Quando [H+]>[OH-], a solução tem um pH inferior a 7, dizendo-se que é uma solução ácida.
Pela definição dada acima, é possível estabelecer uma escala numérica de pH que vai de 1 a 14.
ESCALA NUMÉRICA DE pH

Deve se saber que quando o pH sobe de um valor, na realidade a solução de pH maior é dez vezes mais básica, devido à natureza logarítmica da escala. Dois valores de diferença correspondem a uma diferença de cem vezes, três valores a mil vezes, o pH é o símbolo para a grandeza físico-químico potencial hidrogeniônico'. Essa grandeza indica a acidez, neutralidade ou alcalinidade de uma solução aquosa.
Quando há mais hidrogênio em forma iônica, o pH está mais "baixo" ou ácido. Se ocorrer o inverso, encontra pH alcalino, ou básico (alto). Esse fato deriva da medição ser determinada em função negativa à concentração de íons hidrogênio. Quanto maior for à quantidade desses íons encontrada, mais baixo será o pH medido.
Embora o valor do pH compreenda uma faixa de 0 a 14 unidades, estes não são os limites para o pH. É possível valores de pH acima e abaixo desta faixa, como exemplo, uma solução que fornece pH = -1,00, apresenta matematicamente -log [H+] = -1,00, ou seja, [H+] = 10 mol L−1. Este é um valor de concentração facilmente obtido em uma solução concentrada de um acido forte, como o HCI. Valores abaixo de 0 e acima de 14 são possíveis, porém muito raros e não podem ser medidos com equipamentos normais. 
TABELA DE CONCENTRAÇÃO DE ÍONS H+ E OH-

O valor do pH está diretamente relacionado com a quantidade de íons hidrogênio de uma solução e pode ser obtido com o uso de indicadores.
O pH pode ser determinado usando um medidor de pH também conhecido como pHmetro que consiste em um eletrodo acoplado a um potenciômetro. O medidor de pH é um milivoltímetro com uma escala que converte o valor de potencial do eletrodo em unidades de pH. Este tipo de eletrodo é conhecido como eletrodo de vidro, que na verdade, é um eletrodo do tipo "íon seletivo".
APARELHOS ELETRONICOS PARA MEDIR pH 


Outro indicador de pH muito usado em laboratórios é o chamado papel de tornassol (papel de filtro impregnado com tornassol). Este indicador apresenta uma ampla faixa de viragem, servindo para indicar se uma solução é nitidamente ácida (quando ele fica vermelho) ou nitidamente básica (quando ele fica azul).
O pH é definido por uma equação logarítmica. Essa é uma das questões mais importantes sobre o pH. Nunca se esqueça disto, porque se compreender este pequeno detalhe perceberá porque é que os seus peixes, por vezes, ficam stressados com as alterações bruscas do pH.
O pH tem uma progressão logarítmica de base 10. Quer isto dizer que cada valor de pH, uma unidade acima do valor anterior é 10 vezes maior em concentração. Então, se você pegar água pura e aumentar a quantidade de OH- 10 vezes, o pH vai aumentar de 7 para 8. 
Por exemplo:
Um pH de 6 é 10 vezes mais ácido que um pH de 7; 
Um pH de 5 é 10 vezes mais ácido que um pH de 6; 
Um pH de 4 é 10 vezes mais ácido que um pH de 5, ai por adiante.
Daqui facilmente vemos que:
Um pH de 5 é 100 vezes mais ácido que um pH de 7; 
Um pH de 4 é 1000 vezes mais ácido que um pH de 7, ai por adiante.
Ou seja, uma simples variação no pH tem um efeito notório na progressão logarítmica. Tenha em mente que escalas logarítmicas não se comportam intuitivamente como escalas lineares, onde dobrar a quantidade de um fator implica simplesmente em dobrar a quantidade de outro, para o pH, funciona assim.
Agora imagine que o seu aquário tem um pH de 7. Os peixinhos estão todos contentes da vida e muito saudáveis. De repente o pH desce para 6. Isto significa que, de repente, á água ficou 10 vezes mais ácida, surgindo assim um grande problema. Os peixes vão sofrer um terrível choque que para alguns pode ate ser mesmo letal. 
Os sintomas variam, desde problemas respiratórios, a feridas na pele, lesões nas guelras e olhos, e outras conseqüências desastrosas que podem causar a morte. 
O valor do pH vai depender do aquário. Geralmente, para o aquário de água doce, o pH deverá situar-se entre os 6,2 e os 9. Dentro destes limites, conseguirá criar a maior parte dos peixes tropicais de água doce. Isto falando em termos de tanque comunitário. Claro está que cada espécie tem o seu pH ideal, por exemplo, os tetras da bacia do Rio Amazonas, no habitat natural estão adaptados a valore de pH mais baixo (por vezes de 5 ou 5,5). Por outro lado, os ciclídeos africanos, no habitat natural, estão adaptados a valores mais elevados (por vezes 9). Ou seja, caso tenha um aquário de biótipo, deverá saber qual o pH ideal para a espécie em questão. Sistemas aquáticos que apresentem pH acima de 8,0 favorecem a precipitação do fosfato, como por exemplo, o fosfato de cálcio, e em pH acima de 9,0 ocorre à manutenção do NH4+, e o favorecimento da precipitação do orto-fosfato insolúvel, limitando o crescimento das algas. 
Se tiver um aquário de água salgada, o pH deverá ser mantido entre os 8 e os 8,5. Tenha cuidado ao proceder a alterações no pH. Nunca opere mudanças bruscas. As alterações devem ser graduais de modo a que o organismo dos peixes tenha tempo para se adaptar. Por exemplo, se tiver um pH de 7,5 e quiser alterar para 6,8, tente não o fazer em menos de uma semana. Pode por exemplo ir adicionando todos os dias uma pequena quantidade de água tamponada no valor do pH desejado para uma correção progressiva, e se levar mais de uma semana, não têm problema. É preferível demorar mais tempo a operar um choque no aquário que, no espaço de poucas horas, venha a causar a morte aos peixes.
O pH da água é sem dúvida alguma é a variável mais comentada e a mais importante quanto aos processos desenvolvidos em um sistema aquático.
A uma faixa aceitável para preservação da maioria dos organismos de água doce, situado entre 6,2 a 9. A alteração no pH da água dos aquários afeta a produção primária, limita o crescimento, interfere na reprodução e restringe o número de espécies úteis no sistema de criação, como por exemplo, a presença de bactérias nitrificantes. 
Alterações extremas de pH ocorrem devido a condições anormais do manejo do sistema de criação, por exemplo, alimento em excesso ou de má qualidade; água de baixa qualidade ou de origem inadequada; "corpos estranhos" contidos ou deixados dentro do sistema como cascalho potencialmente alcalinizante ou excesso de raízes vegetação por serem acidificantes. Tal situação exigirá medidas corretivas. Controle da qualidade e quantidade do alimento, cuidados com a renovação da água, limpeza do fundo e oxigenação adequada, evitam alterações perigosas do pH.
Cada espécie aquática tem um pH considerado ideal, onde ela exerce todas as suas atividades sem problema algum. Isso não quer dizer que uma espécie, se colocada em um pH diferente do seu ideal, irá morrer. Na realidade, o que é perigoso é a sua variação, mesmo que seja retirando uma espécie de um pH e colocando-o no seu ideal. 
Consulte literatura especializada ou um lojista de confiança a fim de conhecer qual o pH ideal para seus peixes, uma vez que este pode variar de acordo com a espécie. 
O pH da água pode ser facilmente medido através de kits adequados que se encontram a venda nas lojas da especialidade; os modelos existentes vão desde tiras de papel sensibilizado ate aos dispositivos eletrônicos mais sofisticados e, como não poderia deixar de ser, a precisão e proporcional ao custo! Os dispositivos líquidos que indicam o pH através da cor e são os mais adequados, e os mais seguros, para aquaristas amadores, a medição é feita colhendo uma pequena quantidade de água do aquário e adicionando algumas gotas do reagente. Faz-se então, a comparação da cor resultante com uma tabela de cores com valores de pH fornecido junto com o produto.
Existe uma relação entre o pH da água e a sua dureza. As águas acidas com pH inferior a 7 não são em regra duras, e as águas alcalinas com PH superior a 7 são duras devido a quantidade de minerais dissolvidos. 
A estabilidade do pH no aquário não é constante e pode variar da noite para o dia devido ao efeito exercido pela fotossíntese das plantas. A água pode tornar-se mais acida após períodos prolongados de escuridão por isso o melhor e verificar o pH da água sempre a mesma hora do dia e com a água a mesma temperatura. As diferenças em termos de pH devidas a atividade normal do dia-a-dia no aquário não costumam afetar, por exemplo, mais de 0,1 numa leitura, mas as alterações drásticas do pH devem ser investigadas, vendo as coisas de outra maneira, as alterações drásticas no comportamento ou na saúde dos peixes podem ser causadas por alterações do pH da água. A correção do pH deve ser feita gradualmente para não provocar stress nos peixes. 
Ótimo, agora que sabemos como funciona o pH, podemos aplicar este conhecimento em nosso hobby.

Nova PáginaINICIALProdutosContatoMONTAGENSARTIGOS GERAISInicialContato