Nova Página
INICIAL
Produtos
Contato
MONTAGENS
ARTIGOS GERAIS
Inicial
Contato
AQUARISLAND
A loja de aquariofilia
BIÓLOGO RESPONSÁVEL
DICAS DO AQUARISMO
MANUAL ALCON-AQUARIOS
TIPOS DE FILTROS
PRODUTOS DA FILTRAGEM
REPRODUÇÃO DE BETAS
PH-como funciona
PH-COMO CONTROLAR
QUIMICA DO AQUARIO
TRONCOS-como usar
MANUAL DO KILLIFISH
SUMP-FILTROS
ZOOTECNISTA RESPONSAVEL
TIPOS DE FILTROS

A Importância da Filtragem no Aquário

A filtragem é essencial para o aquário, isto faz com que os peixes fiquem bem e mais protegido, e também o aquário terá uma visão muito melhor, fazendo com que a água não fique turva.

 
Na natureza a maior parte dos peixes e plantas vivem em ambiente que a mudança da água é continua. Como exemplo veja os rios, lago, lagoa, em um aquário isto também, tem que ser assim, com mudanças constantes de água. Um pequeno aquário não poderia suporta a concentração e a variedade de vida encontrada neste ambiente. O segredo para o sucesso de vidas neste ambiente, o aquário é a filtragem. 
A filtragem remove detritos sólidos e químicos tóxicos tais como o amoníaco, e nitritos da água e envia a água limpa para dentro do aquário. Hoje existem vários modelos de filtragem para qualquer tamanho de aquário, vamos mostrar alguns deles.



Tipos de Filtros

Atualmente existem inúmeros tipos diferentes de filtros, dos mais simples até os mais sofisticados, dos menores até os enormes, dos mais econômicos até os mais dispendiosos. Mas independentemente do modelo, todos são subdivididos em dois tipos bem específicos: os filtros internos e os filtros externos.

Os filtros internos, como o nome diz, são aqueles que ficam e funcionam totalmente submersos, debaixo da água do aquário. Sua principal vantagem é o preço, muito convidativo e suas desvantagens consistem no tamanho, sempre pequeno, cabendo poucas mídias; ocupam espaço dentro do aquário e exigem uma manutenção muito mais frequente, já que saturam rápido.


Os filtros externos são todos os modelos que funcionam do lado de fora do tanque, obviamente. Suas vantagens é que como são externos, possuem os mais variados tamanho, podendo caber muita mídia filtrante, além do fato de que não precisa mergulhar as mãos no aquário para realizar a manutenção. Sua desvantagem é basicamente seu preço, sempre bem elevado em comparação com filtros internos.

Filtro de Placa

Foi uma das mais importante descoberta, na aquariofilia, o sistema de filtragem. E os primeiros filtros para a venda no comercio foram estes, os filtro de placas ou filtro de fundo.

Este filtro pode ser encontrado de vários modelos, em placa inteira que pega todo o formato do aquário, em placas pequenas que é montada até forma o tamanho ideal do aquário, pode encontrar em formas de tubos PVC geralmente este tipo é feito em casa artesanalmente. Todos estes modelos seguem o mesmo objetivo, fazer a filtragem do aquário. 
Vamos descrever o ciclo da água: a água é obrigada atravessar o cascalho (pedrisco ou areia) sendo recebida em um fundo falso ou em uma parede de tubos perfurados, de onde é novamente enviada a superfície, por um elevador de ar, através de bolha de ar feita com um compressor para o aquário, (bombinha, vibrador). Toda a sujeira que deixa a água turva é trazida para baixo ficando concentrado entre as pedras e o fundo falso do aquário.
Este tipo de filtro funciona sim, mas faz um trabalho muito lento, é recomendado aos aquários que possuem poucos peixes.


Filtro Químicos

A filtragem química realiza um ajuste fino da água em diferentes elementos químicos, filtrantes, que podem ser usados, a fim de retirar substancia especiais, ajustar os níveis de dureza e ph e retirar medicações na seqüência do tratamento de uma doença. O filtro químico é uma das melhores formas de cuida da qualidade da água. Existem vários produtos deste no mercado, vamos relata algumas marcas.

 

 FILTRGEM ULTRA-VIOLETA-UV

Bom dias amigos, hoje trouxemos para vocês um pouco sobre o filtro uv. Muitos acham que seu uso é indispensável, emquanto outros consideram ruim o seu uso.

Filtro UV mocinho ou vilão?
O chamado filtro UV, é um filtro onde a água é forçada a passar por uma câmara onde fica exposta a uma lâmpada que emite radiação ultra violeta que tem um efeito de exterminar (destruindo o DNA dessas) toda e qualquer célula viva que entre em contato com ela, inclusas ai, algas, bactérias, vírus, etc.
Mesmo teoricamente, esterilizando somente a água, pois os resto do constante dentro do aquário (substrato, plantas, rochas,vidros, etc) continuaria “contaminado”, o efeito que ele causa, por acabar com os agentes patogênicos da água é minimizar em muito ou praticamente extinguir o contato dos peixes com esses.

Bastante usados em laboratórios vem; a um certo tempo, sendo usado em aquariofilia também.
Não vamos aqui, falar sobre o funcionamento desse filtro, nem se o resultado do seu emprego é eficiente contra isso ou aquilo.
Baseado no fato indiscutível que ele é um potente esterilizador da água, vamos nos ater a uma questão ainda muito pouco discutida e até pouco lembrada no meio aquarístico.
Mas antes de entrarmos no mérito da questão, vamos nos ater a alguns fatos:
- É comum aquários em que o filtro UV fica permanentemente ligado. 
- Esse tipo de filtro é bastante usado em aquários plantados e com fauna. 
- Esse tipo de filtro é muito usado por criadores de peixes ornamentais (principalmente Discos) como uma forma de manter os alevinos numa “água pura e livre de agentes patogênicos".
Bom em qualquer uns desses casos citados (poderíamos citar outros tantos) os peixes são acostumados e muitas vezes nascem e se criam numa água assim, esterilizada, “perfeita”.
Ótimo diriam alguns!

Vocês já ouviram historias de aldeias indígenas praticamente inteiras sendo dizimadas por doenças “bobas” como gripe por exemplo, quando o homem branco chegou lá não? Isso aconteceu, é verdade, é provado, e principalmente é facilmente entendido; os indígenas não tinham imunidade para as nossas doenças, por jamais terem sido expostos a ela. O homem apareceu; portador desses males e pronto estava feita a pandemia.

E os peixes? Um peixinho comum, peguemos um Disco por exemplo, nascido em cativeiro e criado num comunitário comum, sem o filtro UV; nadou e conviveu com um bocado de “trecos” na sua água, era esporos de algas, algumas bacteriazinhas, protozoários, vírus, germes, etc, etc, etc...
Ele o nosso Disco, sempre bem alimentado e saudável, foi adquirindo imunidade, através da criação de anticorpos a essas coisas e assim foi crescendo.
Do outro lado do cidade, num outro ambiente, um outro Disco nasceu e cresceu num aquário onde o filtro UV funcionava constante. Criou-se numa água livre de qualquer perigo, extremamente limpa e livre de todo “agente do mal” possível. Ficou um jovem Disco bonito e saudável, pois como o outro sempre foi bem cuidado e alimentado.

Um belo dia, o dono do primeiro Disco, por uma dessas voltas do destino, acaba comprando o segundo Disco e o leva feliz para casa. Seu aquário esta perfeito afinal seu peixe esta saudável e forte; faz a aclimatação certinha, equaliza os parâmetros e solta o Disco.
Pouco tempo depois esse mesmo Disco novo, até então forte e saudável com o seu, esta doente, atacado de íctio, vermes, protozoários mil o infestam e ele mesmo sendo tratado, morre... Por que? 
Lembram dos índios? Pois é.

Mas o problema não para ai.
Suponha que num aquário, onde o UV funciona direto, lá por um belo dia a lâmpada queima, ou perde a validade (lâmpadas UV tem validade de tempo de funcionamento). O dono, ou não sabe onde tem essa lâmpada, ou a compra pela internet e ela demora um pouco pra chegar, ou no momento não tem grana, ou... Bom supomos que o filtro fique desligado por uns dias. 
Nesse tempo, alguns dos fatos que cito a seguir podem ocorrer.
Um leve pico de amônia ou nitrito o que o brigou a fazer uma TPA.
Um peixe novo foi adquirido e colocado no aquário.
Uma planta nova foi adquirida e foi colocada no aquário.
O dono por um motivo qualquer coloca a mão dentro do aquário.
O dono por um motivo qualquer coloca a redinha que estava guardado no móvel, no aquário.
Amigos há motivos mil! E sabe o que todos esses atos fazem? Levam “trecos” para dentro do aquário. 
Antes, sem problema, o poderoso filtro UV estava lá firme e quando os “trecos” tentavam se manifestar (ou não) eram rapidamente exterminados por ele. 
Mas e agora? Bem agora que ele não esta funcionando. Resultado?
Lembram dos índios? Pois é de novo....

E notem, por favor que hoje em dia a mutação de alguns vírus, germes e bactérias é muito rápida e rotineira, o que causa, que mesmo peixes que viviam em rios ou em aquários sem o filtro UV e que passem a viverem em um com ele, possam não adquirir resistência para essas novas formas de ameaças.

Há casos de aquaristas que usavam o filtro direto e por um motivo que não vem ao caso aqui tiveram que deixar de usar, entre algumas perdas e tratamentos, demoram bastante tempo para conseguirem fazer seus peixes de forma bem lenta e gradual voltarem a conseguir viver em uma água não esterilizada.

Existe uma corrente de pensamento hoje em dia, que é totalmente contra o uso continuo desse tipo de filtro, exatamente por esse motivo.
(Eu humildemente me coloco junto a eles nesse pensamento.)

Vejam não esta se falando aqui, para não usarmos mais o filtro UV, não é isso! Ele ajuda muito em vários casos, mas deve ser usado com cautela, como se usa um remédio e não como uma constante.

Se o seu uso se faz necessário direto, com por exemplo para combater a “água verde”, mude o foco, combata a causa da água verde (provavelmente a iluminação errada) e deixe o filtro UV; depois da água limpa, desligado.

Lembre-se qualquer remédio se tomado certo é salvador, se tomado em overdose, pode até matar.


Nova PáginaINICIALProdutosContatoMONTAGENSARTIGOS GERAISInicialContato